BC NÃO FISGOU NEM UM CENTAVO NA CONTA DO EMPRESÁRIO AMIGO DE TEMER


O Banco Central não encontrou nem um centavo em cinco contas vinculadas ao empresário Vanderlei de Natale, alvo da Operação Descontaminação – desdobramento da Lava Jato que também pegou o ex-presidente Michel Temer (MDB). A investigação afirma que De Natale é ligado ao emedebista e também ao coronel reformado da Polícia Militar de São Paulo João Baptista Lima, o coronel Lima. 

O juiz Marcelo Bretas havia determinado o confisco de R$ 57.204.586,32 do amigo do ex-presidente e também de quatro empresas das quais ele é sócio. O BC sequestrou R$ 462.014,73 da Construbase Participações, R$ 2.861.624,93 da Construbase Engenharia, R$ 31,52 da VN Participações e R$ 83.417,70 da Probase Projetos e Engenharia. Em delação premiada, o empresário José Antunes Sobrinho, ligado à Engevix, relatou pagamentos indevidos da empreiteira no valor de R$ 1,091 milhão, em 2014, após solicitação do coronel Lima, no âmbito das obras da usina nuclear Angra 3, no Rio. 

A Lava Jato afirma que o coronel é operador financeiro de Michel Temer e ‘dinheiro desviado dos cofres públicos serviu para custear reforma na casa de Maristela Temer’, filha do ex-presidente. O Ministério Público Federal afirma que, após o pagamento de propina sobre as obras de Angra 3, o esquema cuja liderança é atribuída a Michel Temer ‘cuidou de lavar os proveitos do crime a fim de usufruir os recursos ilícitos’. 

De acordo com a investigação, os valores foram lavados por meio de obras de Maristela e também por ‘pagamentos milionários feitos pela empresa Construbase para a empresa PDA Projetos’. A força-tarefa da Lava Jato identificou que a ‘Construbase Engenharia transferiu R$ 17.743.218,01, por meio de 58 transações entre 9 de setembro de 2010 e 20 de agosto de 2015, para a contas-corrente da empresa PDA Projetos e Direção Arquitetônica LTDA’. “Durante as buscas na sede da empresa PDA Projetos foram identificados vários documentos que indicavam supostos contratos de prestação de serviço pela empresa PDA Projetos à Construbase. Todavia, não foram encontrados as correspondentes prestações de serviços. Os depósitos identificados são apenas mais uma forma do coronel João Baptista Lima Filho receber recursos de empreiteiras que contratam com o poder público e pagam propina por esses contratos”, relatou a Procuradoria da República. 

O Ministério Público Federal afirma que ‘a grande maioria dos contratos só consta o valor, o prazo e as notas fiscais emitidas’. “Em apenas 3 dos 40 contratos listados há a indicação de ART(anotação da Responsabilidade Técnica), o que demonstra que sequer foi indicado nos outros contratos fictícios profissionais habilitados para a realização do objeto contratual”, indicam os investigadores. “O documento é mais uma prova da ausência de prestação de serviço e a tentativa de ludibriar as autoridades com contratos fictícios de prestação de serviço para dar aparência de licitude às transferências de recursos para a empresa PDA Projetos.” Após o desembargador Ivan Athié soltar os investigados da Descontaminação, as defesas se manifestaram desta forma.

Fonte: Estadão

Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.

Tecnologia do Blogger.