Tecnologia

GOLPES E VIOLÊNCIA: O QUE FAZEM UBER, 99 E CABIFY PELA SEGURANÇA NAS CORRIDAS


A popularidade dos apps de transporte não deu aos usuários apenas mais opções de preços – as histórias de golpes e casos de violência nos apps como 99, Cabify e Uber também aumentaram. Os temas vão de valores cobrados a mais e de falsos motoristas até tentativas de sequestro, assaltos e crimes ainda mais graves, como os estupros relatados nesta semana, em Fortaleza.


Evitar que esses problemas aconteçam não é exatamente uma tarefa fácil. Mas as companhias têm alguma noção dos riscos. Tanto é que, além dos canais de suporte, usam tecnologias para tentar garantir a segurança de passageiros e motoristas nas viagens – o sistema de reconhecimento facial que a 99 deve implementar em sua plataforma é só um exemplo.

Falamos com porta-vozes da Uber, do Cabify e também da 99 para entender melhor o que cada uma faz para tentar evitar golpes e proteger seus usuários. Confira a seguir.

O que faz a 99?

Além dos casos de estupro relatados pelo jornal O Povo, de Fortaleza, que levaram a 99 a suspender os cadastros de motoristas, a empresa também lida com outros problemas menores. Em Belo Horizonte, por exemplo, uma reportagem do Estado de Minas revelou que os donos dos carros começaram a enganar os passageiros, iniciando corridas antes mesmo de buscá-los. Sem poder cancelar, os usuários acabavam cobrados a mais.

Nesses casos, como outros aplicativos, a 99 oferece aos clientes um canal de atendimento onde é possível denunciar a prática e pedir o ressarcimento. Foi dessa forma que a companhia conseguiu identificar algumas das cobranças irregulares, banindo motoristas da plataforma.


Mas nas situações mais graves, como nos crimes ocorridos nesta semana, simplesmente relatar no 0800-888-8999 não resolve: é preciso prevenir. Em comunicado, a empresa diz que tem uma “equipe especialmente dedicada” à segurança, formada por 30 pessoas, “incluindo ex-militares, engenheiros de dados e até psicólogos”. A empresa também diz analisar os perfis dos motoristas – algo que será refeito em Fortaleza – e mapear áreas de risco usando dados internos e externos, avisando os usuários sobre zonas mais perigosas.

Além da tecnologia de reconhecimento facial para identificar os motoristas, a 99 afirma contar com uma inteligência artificial “que monitora o perfil das corridas em tempo real”. “O sistema identifica situações de risco e bloqueia o acesso à plataforma, prevendo incidentes antes que aconteçam”, diz a empresa. Fora isso, há um recurso de compartilhamento de rotas, que usuários podem usar para mostrar a amigos ou familiares aonde e por onde estão indo. Em casos de acidentes ou problemas mais graves, as corridas são seguradas no valor de R$ 100 mil.

O que faz a Uber?

A Uber é outra a ter o nome associado recorrentemente a casos de cobranças indevidas. Recentemente, nos EUA, motoristas começaram a aplicar o “golpe do vômito” para cobrar de passageiros uma “taxa de limpeza” que podia chegar a 150 dólares. Fraudes do tipo costumam ser identificadas e resolvidas pelo sistema de ajuda e contestação do próprio app, mas o processo pode demorar algum tempo.

Os reembolsos costumam ser mais rápidos nas cobranças indevidas por cancelamento, que acontecem quando um motorista tenta “forçar” o usuário a cancelar a corrida. A Uber diz que tem equipes e tecnologias próprias que “constantemente analisam viagens suspeitas para identificar violações aos termos”, como é o caso. Um parceiro da empresa que é denunciado muitas vezes acaba banido da plataforma, sem poder voltar a dirigir pelo serviço – até porque a Uber também diz sempre verificar antecedentes e bases de dados públicos de cada um.

Fora isso, ainda do lado do motorista, o aplicativo tem um sistema de verificação de identidade em tempo real. A função solicita uma selfie ocasionalmente para se certificar que quem está dirigindo o carro é realmente o usuário cadastrado. Se não for, o serviço não funcionará.


Do lado do passageiro, a Uber também permite aos clientes compartilharem as rotas com outras pessoas, para garantir que alguém saiba onde estão e se a viagem está correndo bem. Além disso, a empresa sempre recomenda que os clientes realizem viagens apenas por meio do app. O app inclusive detecta a posição e alerta os usuários quando chegam em um aeroporto, como Guarulhos, em que há muitos motoristas tentando se passar por Uber.

A Uber também trabalha em conjunto com autoridades em casos mais graves, e inclusive lançou uma cartilha nesta quarta-feira “para orientar autoridades policiais sobre a forma mais efetiva de solicitar o compartilhamento de dados da plataforma”. A ideia, como ressalta a empresa, “é acelerar ao máximo a cooperação nas investigações” em eventuais ocorrências policiais.

O que faz a Cabify?

A Cabify também diz seguir “processos rigorosos” para cadastrar os motoristas, solicitando documentos, exames e antecedentes antes de registrar alguém para dirigir. A empresa também afirma oferecer treinamentos a esses usuários, a fim de dar dicas para melhorar o atendimento e até mesmo resolver questões técnicas da plataforma.

A mesma recomendação da Uber de sempre usar o app para fazer uma viagem também é dada pela companhia. “Assim, é possível registrar informações de todas as etapas de uma viagem”, explica a Cabify – o que ajuda a resolver eventuais problemas. Os trajetos são acompanhados por GPS, como acontece nos outros dois apps, e o passageiro pode compartilhar a rota.


Em uma possível ocorrência, o aplicativo ainda orienta passageiros e motoristas a entrarem em contato com a empresa e, claro, autoridades competentes. Para contatar a companhia, toque na opção “Ajuda” dentro do app e depois em “Quero entrar em contato com a Cabify”. Segundo a Cabify, os contatos “podem ser priorizados pela central de atendimento” de acordo com a situação. O app também se coloca à disposição das autoridades quando necessário.




Fonte: Olhar Digital

Por tv web 2

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.

Tecnologia do Blogger.