Política

APÓS FICAR IMPEDIDO DE SER CANDIDATO POR OITO ANOS, LUIZINHO SOFRE NOTA DE DESAGRAVO DA ASSOCIAÇÃO DE JUÍZES DA BAHIA


Associação de Magistrados da Bahia-AMAB faz nota de desagravo contra o ex-prefeito Luizinho Sobral, após este ter publicado na imprensa, manifestações contra o Juiz Eleitoral de Irecê, José Onofre, acusando-o de estar em conluio com o Procurador do Município de Irecê, para promover decisões judiciais em desfavor do citado ex-prefeito.

Luizinho Sobral foi condenado duas vezes, perdendo seus direitos políticos por oito anos, em razão de processos judicializados em 2012, pela coligação liderada pelo ex-prefeito Zé das Virgens, por crimes eleitorais cometidos naquele ano.

Para Zé das Virgens, as condenações de Luizinho pelo Juiz Eleitoral da época, Alexandre Lopes, em 2013, quando ele recorreu e administrou Irecê durante quatro anos sob liminar, e a que foi ratificada pelo atual Juiz José Onofre, “deixa evidente que não perdi a eleição democraticamente. Na verdade, tive a eleição usurpada pela fraude e crime de toda ordem, durante o processo das eleições de 2012. A justiça tarda, mas funciona”, diz o ex-prefeito petista.

De acordo com a nota de desagravo da AMAB, Luizinho Sobral faz ilações sem nenhuma base técnica, nem jurídica. Leia na íntegra:

“A Associação dos Magistrados da Bahia (AMAB), entidade de classe que representa os juízes e desembargadores integrantes do Poder Judiciário do Estado da Bahia, vem hipotecar apoio ao juiz de direito José Onofre Alves Junior, titular da 95ª Zona Eleitoral e do 2º Juizado Especial da Comarca de Irecê, ao tempo em que apresenta esta Nota de Desagravo em face a declarações feitas pelo ex-prefeito do município, Luizinho Sobral, à imprensa, após tornar-se inelegível diante de sentença em processo movido contra o mesmo.

Em manifestações publicadas na imprensa, o ex-prefeito faz ataques sem base jurídica e técnica contra o magistrado, que se distanciam dos propósitos democráticos. Faz ilações contra o juiz, buscando gerar dúvidas quanto à competência profissional e o caráter do mesmo, utilizando-se das relações pessoais do magistrado que nada implicam na sua atuação funcional.

Cabe lembrar que o juiz não atuava na comarca quando a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) foi ajuizada, em 2012. Da mesma forma, esquece de informar o acusador que o bacharel, a quem faz acusações de provocar imparcialidade do juiz, foi seu advogado no pleito de 2016.

Reafirmamos que em um Estado Democrático de Direito não se pode admitir que se desrespeite o princípio do convencimento motivado do magistrado no seu ato de julgar. A decisão proferida legitimamente pelo juiz de direito é passível de revisão, por meio do recurso próprio a ser interposto pela parte que se sentir insatisfeita, e apreciado pelos órgãos judicantes correspondentes, pois existe um sistema recursal específico para se questionarem, de forma lídima, legal e correta, os atos jurisdicionais.

A AMAB e o magistrado consideram lastimável as declarações e acusações contra o juiz e o Poder Judiciário.

Neste contexto, e mesmo diante do ocorrido, a Associação dos Magistrados da Bahia reafirma seu posicionamento de relação harmoniosa e de colaboração recíproca com todos os segmentos da sociedade, nos âmbitos público e privado, no escopo de alcançar uma prestação jurisdicional eficiente para toda a sociedade baiana, sem prejuízo da defesa das prerrogativas, dos direitos e dos deveres inerentes à magistratura.

Elbia Araújo - Presidente da AMAB”

Fonte: AMAB

Por Blog Tv Web Barreiras

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.

Tecnologia do Blogger.