0

Nesta segunda-feira, 20, foi realizada a primeira reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final, da Câmara de Barreiras. Presidida pelo vereador João Felipe de Melo Lacerda- relator, o objetivo foi discutir e analisar o Projeto de Lei 001/2017 do Executivo, que visa a organização administrativa e a reestruturação da Administração Pública Municipal. 

O procurador do município, Túlio Viana Machado, foi convidado para tirar as dúvidas sobre o projeto. A reunião contou com a presença do presidente Gilson Rodrigues e dos vereadores, Almery, Silma Alves, Marcos Reis, Sobrinho, Carlos Costa, Otoniel Teixeira, Eurico Queiroz, César da Vila e Carlão, componentes de outras comissões, e o vereador José Barbosa, que é membro da Comissão de Constituição e Justiça.


Durante o encontro o procurador disse que a reforma administrativa é necessária e que tudo está sendo proposto com base em estudos que estão sendo feitos desde o mês de novembro e que se confirmaram no início deste ano, quando o novo governo conheceu a realidade da folha de pagamento de Barreiras e teve com precisão a quantidade de funcionários.


O governo explica que para priorizar a eficiência administrativa vai retirar 1700 pessoas da folha de pagamento, ao afirmar que encontrou a prefeitura com cerca de cinco mil servidores, entre efetivos e contratados. Entretanto, a gestão municipal, na reforma administrativa, aumentou o número de cargos. Antes eram 360 e agora vão ser 441.

Além de prevê eficiência no atendimento e economicidade, o Executivo quer com a reforma possibilitar a modernização e desburocratização da Administração Pública Municipal. O projeto de lei será apreciado na sessão desta terça-feira, 21.

Ascom. Câmara de Barreiras.

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.

 
Topo