POLÍTICAS AGRÍCOLAS PARA A SAFRA 2017/2018: OZIEL OLIVEIRA SAI EM DEFESA DO PRODUTOR DE LUÍS EDUARDO. - Tv Web Barreiras

Notícias Recentes

9 de fev de 2017

POLÍTICAS AGRÍCOLAS PARA A SAFRA 2017/2018: OZIEL OLIVEIRA SAI EM DEFESA DO PRODUTOR DE LUÍS EDUARDO.


Ocorreu no auditório do SENAR na última quarta-feira (8), um workshop promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA), tendo como mediadores os assessores técnicos da CNA, a Doutora em Economia, Fernanda Schwantes e Rafael Albertoni.

O evento que teve como objetivo promover uma discussão acerca das diretrizes da política agrícola brasileira, sobretudo as dedicadas à fronteira agrícola MATOPIBA, com o intuito de aprimorá-la conforme as necessidades apontadas pelo setor. Estavam presentes: representando o Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães, a Sra. Carminha Missio, Presidente; representando a Prefeitura Municipal, o Prefeito Oziel Oliveira; o Vice-Prefeito Vanir Kolln e o Secretário de Agricultura, Franco Bosa; representando a Câmara Municipal, o Vereador Guinho; além dos produtores rurais e representantes de entidades de classe dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.


O encontro oportunizou aos produtores da região a apresentação de suas demandas e dificuldades, as quais serão compiladas em um documento a ser entregue ao Governo Federal, com as prioridades do setor agropecuário para safra 2017/2018.

A Presidente SPRLEM e anfitriã do evento, Sra. Carminha Missio, percebe o momento como uma excelente oportunidade para que os produtores rurais e demais profissionais que estão ligados ao setor possam se manifestar e contribuir para a construção de uma política agrícola que atenda às necessidades, respeitando-se as particularidades de cada região, e enfatiza: 


A agricultura é a base da economia mundial. O país que não tem capacidade agrícola para sua sustentabilidade não é um país soberano.” 

Os principais temas discutidos foram o crédito rural, comercialização, seguro rural, Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC), com destaque para as linhas de crédito e investimentos oferecidas aos produtores que possuem encargos rotativos e taxas ínsitas, comuns nesse tipo de operação, acrescidas de cobranças complementares que oneram substancialmente as transações de financiamento. 


De 2013 até 2016, as taxas de crédito subiram de 3,5% para 8,5%, elevação exponencial, que estorva o desenvolvimento e a continuidade das atividades agrícolas, agravado pelo problema da seca, fazendo com que muitos produtores deixem o ramo para se enveredarem rumo a outro tipo de negócio.

O Prefeito Oziel ressaltou a importância do evento:

Estou aqui não apenas como prefeito, mas também como agricultor. Conheço bem os problemas que atingem o setor agropecuário. O workshop nos possibilitou apresentar nossas demandas, sugerir novas políticas de crédito e financiamento e avaliar os resultados do agronegócio em nossa cidade. Assumi o compromisso de lutar pessoalmente por algumas delas, que estão ao meu alcance, quer seja como chefe do executivo municipal, ou através do conhecimento adquirido como Deputado Federal e gestor da ADAB. Outra meta importante é a reativação do Armazém da Conab, que vai permitir a formação de estoques, garantido o abastecimento de nossas culturas, como o milho, por exemplo, para reduziremos os custos de logísticas e possibilitaremos aos produtores, atender a demanda existente, no nordeste e no resto do país, com produção de qualidade.


Outro importante tópico tratado foi a dificuldade de acesso ao seguro. Dos 5 milhões de agricultores espalhados pelo país, somente 80 mil tem conseguido acessá-lo, sendo desse montante, 60% só no estado do Paraná, número que revela uma disparidade colossal. O grande entrave é que o seguro agrícola no Brasil não é adequado à realidade do produtor, que é diferente em cada região, para cada cultura. Uma situação que ilustra o problema é o pagamento do mesmo prêmio tanto para o agricultor que adota tecnologia de ponta, que é menos suscetível a alterações climáticas, como para aquele que não adota ferramentas tecnológicas e está altamente suscetível a riscos climáticos.

A eventual ocorrência de sinistros implicam perdas expressivas, levando o produtor rural a enfrentar graves dificuldades financeiras e intermináveis renegociações de dívidas, culminando na incapacidade para assumir novos investimentos. 

Um dos participantes comparou a realidade agrícola brasileira com a de outros países: “Nos Estados Unidos, 90% dos produtores rurais acessam o seguro. Na Alemanha, os financiamentos são rotativos, menos burocráticos e têm durabilidade de 15 anos. Ou seja, a renovação é automática durante esse período. Se o agricultor precisar de um novo crédito, faz a solicitação sem a necessidade de apresentação de documentos, desde que não haja inadimplência.”.

Ascom. P.M.L.E.M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.