0

Por Maglon Ribeiro

A gestão municipal não pode ser passiva e só administradora de recursos transferidos. Já está na hora da administração local romper com o tradicional receituário municipal ligados apenas ao básico da prestação de serviços sociais e urbanos.

A função administrativa nos municípios menores deve ser proativa, ou seja, impulsionadora das potencialidades de desenvolvimento endógeno no seu território.

O primeiro passo nessa direção é organizar e fortalecer a pequena produção local. Vejo na agricultura familiar o grande diferencial, em potencial, para que o município deixe de ser um mero expectador ou importador de produtos essenciais básicos, que podem ser produzidos no seu próprio território. Para isso é preciso se fazer um trabalho de base promovendo uma mudança cultural nos agentes produtivos locais.

As Administrações Locais devem incorporar junto ao papel tradicional como fornecedoras de serviços sociais básicos, outras funções para favorecer a criação de contextos locais inovadores a fim de contribuir à criação de empreendimentos e atividades produtivas dinâmicas. Fortalecer a micro e pequena empresa, dinamizar a agricultura familiar condicionando estes agentes como fornecedores locais, como a merenda escolar , por exemplo, é sem dúvida uma grande saída, para o governo local.

O prefeito (a) desses municípios precisam incorporar uma visão empreendedora e trazer para o seu município para a difusão de uma cultura local de empreendedorismo dedicando esforços ao fortalecimento dos diferentes segmentos produtivos locais.

Necessário se faz elaborar um diagnóstico das potencialidades do município, explorar de certa forma, a sua vocação econômica, promover capacitação, organizar os segmentos produtivos em termos de associação, incentivar o cooperativismo, estabelecendo - a própria prefeitura, um núcleo de gestão, com objetivo de fomentar e dinamizar os setores produtivos locais.

As micro e pequenas empresas e a agricultura familiar são cruciais para a criação de ocupação e renda para amplas camadas da população de um lugar.

O processo de desenvolvimento econômico local está condicionado por uma série de fatores:

Recursos humanos capacitados,

Acesso a fontes de financiamento,

Disponibilidade de informações estratégicas empresariais (conhecimento dos mercados e tecnologias),

Cultura e capacidade empreendedora local,

Desenvolvimento comunitário e institucional.

Todos esses elementos podem ser construídos territorialmente, para que o território seja um ator fundamental de desenvolvimento local. Nesse caso o município conta com a cooperação técnica e parceria do SEBRAE.

Dentro dessa visão estratégica o novo papel do gestor é articular os atores locais paras um projeto de desenvolvimento, fortalecendo os eixos produtivos com integração dos pequenos.

O município que trabalhar nesse sentido estará dando um passo significativo, no momento ideal, que a economia requer, ampliando a circulação dos recursos no próprio território, com incremento da renda das famílias e consequente fortalecimento da economia loca.

Colunista Maglon Ribeiro / Tv Web Barreiras.

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.

 
Topo