0

A final desta quarta foi marcada pelas homenagens à Chapecoense. Os dois times entraram em campo com o escudo do time catarinense no uniforme, assim como o árbitro e os auxiliares, que até vestiram verde. O técnico Renato Gaúcho também vestiu verde. A bola do jogo teve o escudo da Chape em memória dos jogadores e integrantes do clube que foram vítimas do acidente aéreo da semana passada, que causou a morte de 71 pessoas.

Nas arquibancadas, a torcida gremista abriu a camisa gigante que os torcedores da equipe de Santa Catarina levavam aos jogos na Arena Condá. O momento mais emocionante da homenagem aconteceu no minuto de silêncio, com toque militar. Os jogadores ficaram abraçados no centro do gramado, com a presença de membros da imprensa, representando os jornalistas que morreram na tragédia. O goleiro Victor era o mais emocionado, assim como muitos torcedores nas arquibancadas.

Na comemoração do título, a Chape voltou a ser lembrada. Alguns jogadores do Grêmio, como o atacante Luan, vestiram a camisa da equipe de Chapecó na volta olímpica. Marcelo Grohe prestou tributo ao goleiro Danilo, herói da Chapecoense e uma das vítimas da tragédia, e ao também goleiro Jackson Follmann, um dos sobreviventes. Jogadores com passagem pelo Grêmio, como Marcelo Biteco e Willian Thiego, também foram homenageados pelos campeões.
O jogo

Na Arena do Grêmio lotada com 55 mil torcedores, o time mandante se aproveitou da vantagem construída com o placar de 3 a 1 no jogo de ida, no Mineirão, e controlou a partida com frieza. Embora o Atlético-MG tenha tomado a iniciativa na tentativa de conseguir mais uma impressionante virada com as quais se acostumou nos últimos anos, foi o Grêmio que levou mais perigo em ataques pontuais. Aos 39 do primeiro tempo, Douglas deixou Everton na cara do gol e Victor salvou com uma grande defesa.

No segundo tempo, o panorama continuou o mesmo. Com o Atlético-MG se abrindo em busca do resultado, a equipe gaúcha aproveitava os espaços em contra-ataques perigosos. Raçudo, o time mineiro não desistia – e a apreensão da torcida gremista por um título que não vinha há 15 anos crescia.

Aos 42 minutos, enfim, a rede balançou: em um dos contra-ataques do Grêmio, Everton avançou pela esquerda e cruzou para o meio. A bola sobrou para Miller Bolaños marcar quase na pequena área. Faltando poucos minutos para o final, o Atlético-MG precisava marcar três gols para levar a disputa para os pênaltis. Não conseguiu. Mas conseguiu marcar o gol mais bonito da competição – e talvez do ano. Aos 46, Cazares chutou de antes do meio de campo e surpreendeu Marcelo Grohe, anotando um golaço de honra.

Depois do apito final, alguns jogadores das duas equipes trocaram empurrões, manchando um pouco um espetáculo marcado pelo respeito e pela solidariedade com as vítimas da tragédia com a Chapecoense.


Fonte: Veja

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.

 
Topo