M.OFFICER É CONDENADA A PAGAR R$ 6 MILHÕES POR TRABALHO ESCRAVO. - Tv Web Barreiras

Notícias Recentes

7 de nov de 2016

M.OFFICER É CONDENADA A PAGAR R$ 6 MILHÕES POR TRABALHO ESCRAVO.


A M5 Indústria e Comércio, dona da marca M. Officer, foi condenada a pagar R$ 6 milhões por submeter trabalhadores em condições análogas à de escravidão, segundo divulgou nesta segunda-feira (7) o Ministério Público do Trabalho em São Paulo (MPT), que moveu uma uma ação civil pública contra a empresa após flagrante feito em 2014, em São Paulo.

Segundo o MPT, em sentença do dia 21 de outubro, a juíza Adriana Prado Lima determinou que a empresa pague R$ 4 milhões por danos morais coletivos e mais R$ 2 milhões por dumping social, quando uma empresa se beneficia dos custos baixos resultantes da precarização do trabalho.

O portal de noticias G1 procurou a M.Officer para solicitar um posicionamento sobre a decisão judicial, mas não obteve retorno às suas solicitações até a última atualização desta reportagem.

A ação foi aberta após 8 bolivianos terem sido encontrados em condições degradantes em uma oficina que fazia roupas para a marca, em São Paulo.

Segundo o MPT, a empresa utilizava empresas intermediárias para subcontratar o serviço de costura, realizado em grande parte por imigrantes em oficinas clandestinas submetidos a jornadas excessivas em condições precárias, sem qualquer direito trabalhista. Em um desses locais, verificou-se que os trabalhadores ganhavam de R$ 3 a R$ 6 por peça produzida e cumpriam jornadas médias de 14 horas.

A Justiça descartou o argumento da defesa, de que a empresa não seria responsável pela situação encontrada nas confecções. Segundo informou o MPT, quando a M.Officer foi questionada sobre como escolhe seus fornecedores, disse não saber dizer qual o valor pago aos costureiros subcontratados ou como são as condições de saúde e segurança nos locais de trabalho pois esta responsabilidade era de seus fornecedores.

Para o procurador Rodrigo Castilho, a decisão é um marco, pois abre um precedente importante na luta pela erradicação do trabalho escravo. "Este é o primeiro caso julgado procedente desde a promulgação da Lei 14.946/2013 (Lei Bezerra), que pune empresas paulistas que utilizarem trabalho análogo à escravidão em seu processo produtivo com a cassação da inscrição no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)", disse.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.