ADEUS AO DITADOR - CRÔNICA DE GUTO DE PAULA. - Tv Web Barreiras

Notícias Recentes

28 de nov de 2016

ADEUS AO DITADOR - CRÔNICA DE GUTO DE PAULA.

Aos noventa anos de idade morre em Havana o maior e mais expressivo líder da Revolução Cubana: Fidel Alejandro Castro Ruz. Exatamente no momento em que as negociações entre os Estados Unidos e a Ilha começam a surtir efeito e que até se fala em interromper o bloqueio econômico. 

Cuba tem sido um pesadelo para o Governo Norte Americano por sua aliança com a antiga União Soviética. Sua proximidade com Miami e a ameaça logística e estratégica em caso de um conflito. 

Fidel Castro declarou certa vez que os cubanos fizeram pelo país em 30 anos o que toda a América não fez em duzentos anos de história. Evidente que existem controvérsia, porem com todo o bloqueio econômico a Ilha sobreviveu e destacou-se em inúmeras atividades. A mais significativa delas na medicina. 


Autor também de uma declaração que sustentava seu sistema de governo ditatorial: “Essa noite, milhões de crianças dormirão na rua, porem nenhuma dela é cubana|”. Referindo a miséria em todos o planeta e a inoperância de quase todos os governos em disseminar a fome e a miséria.

Alinhou-se politicamente com alguns ditadores na América do Sul e com o próprio governo brasileiro, porem nem os caudilhos seus correligionários e nem o governo brasileiro tiveram a mesma sorte. Foram derrubados pelo próprio sistema que instituíram ou estão vivendo um crise sem precedentes como é o caso da Venezuela.

Em minha opinião acredito que o fato evidente que os cubanos amam e se orgulham de Cuba, da sua revolução libertadora e do seu sistema de governo autoritário, porem com resultados para eles satisfatórios se tornou o alicerce que manteve Fidel no poder por tantos anos. Claro que sem a aceitação dos que de lá fugiram após a revolução e que desesperadamente navegaram os 150 quilômetros que separam a ilha dos Estados Unidos. Para esses o exílio foi a única solução viável.

Os grandes ditadores a exemplo da maioria dos políticos brasileiros na situação de poder fazem o possível e o impossível para permanecer no alto e no comando de suas ações. Alimentam a prática das oligarquias que se perpetuam no poder, até que em certo momento o povo se cansa dos desmandos e promove uma mudança. 

Nas ditaturas, reprimir essa vontade é uma prática corriqueira e normal, seja pela força bruta por dispositivos governamentais e pelo estabelecimento de poder pela intimidação. Tudo de forma muito clara do tipo manda quem pode, obedece que tem juízo. Na política brasileira essa forma de pensar e de agir também existe embora a força bruta seja substituída pela pressão ou pela tortura psicológica. 

Papel importante para a mídia, cuja função e contar de forma mais amena ou menos mentirosa as mazelas governamentais. Em contra partida as redes sociais de força corajosa ou até irresponsável leva ao conhecimento público o que o órgão oficiais de imprensa não se encoraja a publicar.

Diariamente nos relatam episódios que deveriam apenas estar nos bastidores no governo que por descuido ou impotência vazam para o conhecimento popular. Momento em que se faz necessário editar a notícia de uma forma mais amena, Com menores consequências. Fazendo de conta que a transparência de fato existe e que todos podem ter acesso a ela. 

Mentiras que um governo ditatorial não se preocuparia em divulgar porque vacilos dessa natureza são punidos com extremo rigor. Não apenas com demissões ou simples renuncia. 

Fazer comparações entre governos ditatoriais pobres e governos democráticos ricos se torna muito singular, pois em ambos os regimes o povo é sempre pobre Os governantes e seus seguidores extremamente ricos e poderosos. O povo é massa de manobra tanto no jugo ditatorial quanto na suposta liberdade democrática. 

O que sustenta tanto um como outro regime é a ignorância do povo, a falta de conhecimento, a ausência de politização e o medo do novo e do inusitado. Segundo Fidel um verdadeiro revolucionário pode perder a família, a própria vida só não poder perder a moral. 

Fidel acreditava quando vivo que a História no futuro irá lhe absolver. Nossos políticos não acreditam muito nisso se Sergio Moro continuar agindo. Mas, quem viver verá. 

A crônica de hoje é dedicada aos comerciantes de Barreiras que enfrentam uma grande crise, a equipe da FASB que no dia de hoje aplica o primeiro vestibular de medicada da faculdade, depois de cinco anos de árdua luta e longa espera pela vontade politica dos que não legislam para o povo. Ao amigo e engenheiro cível Edson Bol. 

Boa tarde.

Guto de Paula / Tv Web Barreiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.