0

Sites e blogs com posicionamento pró-governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) estão sem receber recursos do governo federal desde junho, com a assunção de Michel Temer (PMDB). Levantamento feito pela Folha na Secretaria de Comunicação da Presidência, na Petrobras, no Banco do Brasil, na Caixa Econômica e no BNDES registra pagamentos feitos em junho como residuais a maio. 

Desde então nenhum dos 13 sites listados recebeu dinheiro - são eles Brasil 247, Carta Maior, Conversa Afiada, Diário do Centro do Mundo, Site Jornal GGN, Blog do Luís Nassif, Portal Fórum, Opera Mundi, Brasil Econômico, O Cafezinho, Sidney Rezende e Viomundo. A medida teria sido tomada após ordem de Temer para fazer um pente-fino na publicidade, sob alegação que "dinheiro destinado à publicidade não deve financiar opinião, mas sim produtos jornalísticos de interesse público". 

Entre janeiro e dezembro de 2015, foram pagos R$ 5,1 milhões aos sites e blogs, entre os quais estão o Blog do Luís Nassif (R$ 746 mil), o Brasil 247 (R$ 732 mil), o Diário do Centro do Mundo (R$ 194 mil) e o Conversa Afiada (R$ 333 mil), do jornalista Paulo Henrique Amorim. Segundo a Folha, até junho de 2016 foram pagos R$ 1,5 milhão. Desde então não há registros de liberação. O Banco do Brasil pagou R$ 500 mil ao Blog do Nassif em 2015 e R$ 113 mil entre janeiro e maio deste ano; R$ 491 mil para o Brasil 247 em 2015 e mais R$ 120 mil nos cinco primeiros meses deste ano; já o Conversa Afiada recebeu do BB R$ 199 mil em 2015 e R$ 44 mil neste ano. 

O banco suspendeu os pagamentos desde maio, sob justificativa de que adota o critério de "cobertura, penetração e afinidade dos veículos". A Caixa e a Petrobras declararam que não têm mais investimentos nesses veículos. A Secretaria de Comunicação do governo federal registrou repasses de R$ 870 mil ao grupo de sites e blogs, entre janeiro de 2015 e maio de 2016. 

O BNDEs afirmou que não há previsão de repasses para os sites em 2016, que receberam ano passado R$ 504 mil pela campanha 'BNDES Transparente' - a verba foi distribuída também para 32 jornais, entre eles Folha, O Globo e O Estado de S.Paulo. Em entrevista ao portal da Revista Imprensa, em julho, Nassif disse que os cortes são "censura política". Paulo Henrique Amorim chegou a escrever que uma das primeiras medidas "do governo interino - e ilegítimo - de Temer foi o cerceamento da mídia alternativa no Brasil".

Fonte: Bahia Noticias.

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Tv Web Barreiras. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog Tv Web Barreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada ou que esteja sem identificação.

 
Topo